sábado, 12 de janeiro de 2019

Governo Bolsonaro aloca deputados não reeleitos no segundo escalão

Pelo menos nove deputados e ex-deputados que não se elegeram nas eleições de 2018 foram indicados para cargos no segundo escalão do governo Jair Bolsonaro (PSL). Eles vão trabalhar nos ministérios, subordinados diretamente aos chefes das pastas. Entre os parlamentares há políticos de seis partidos: PSDB, MDB, PRB, PSL, Podemos e PSD.

CASA CIVIL
Na Casa Civil, o ministro Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ele mesmo deputado federal reeleito, escolheu dois colegas de Câmara dos Deputados para trabalhar na articulação com o Congresso Nacional.  O deputado Leonardo Quintão (MDB-MG) vai assumir a Subchefia de Assuntos Parlamentares e o deputado Carlos Manato (PSL-ES) será secretário especial da Casa Civil para a Câmara dos Deputados. Manato concorreu ao governo do Espírito Santo e terminou em segundo lugar, com 27,22% dos votos. Quintão disputou mais um mandato na Câmara, mas não conseguiu a reeleição.

DIREITOS HUMANOS
A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, anunciou dois deputados federais que não se reelegeram para integrar a equipe do ministério.  O deputado Antônio Jácome (Pode-RN), que se candidatou sem sucesso ao Senado, será o número dois da pasta, ocupando a secretaria-executiva do ministério.  A deputada Tia Eron (PRB-BA) será a secretária nacional de Políticas para as Mulheres.

CIDADANIA
Os deputados federais Lelo Coimbra (MDB-ES) e Floriano Pesaro (PSBD-SP) vão comandar secretarias do recém-criado Ministério da Cidadania.  Coimbra será responsável pela Secretaria Especial de Desenvolvimento Social, departamento que cuida do programa Bolsa Família, e Pesaro vai chefiar a Secretaria Nacional de Assistência Social.

ECONOMIA
Relator da Reforma Trabalhista aprovada no governo Michel Temer (MDB), o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) vai comandar a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia. O deputado não conseguiu se reeleger.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA
No Ministério de Ciência e Tecnologia, o ministro Marcos Pontes nomeou o ex-deputado federal Júlio Semeghini (PSDB-SP) para secretário-executivo da pasta, segundo cargo na estrutura do ministério. O ex-deputado não se candidatou nas últimas eleições.

AGRICULTURA
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, escolheu como número dois do ministério o deputado federal Marcos Montes (PSD-MG). Assim como Cristina, que é deputada federal pelo DEM do Mato Grosso do Sul, Montes é uma liderança do setor rural e já foi presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária.