quinta-feira, 13 de julho de 2017

Governo Temer vê possibilidade de cortes em mais serviços públicos

A suspensão da emissão de passaportes e a paralisação das atividades em algumas bases operacionais, alegando falta de combustível, podem representar os primeiros sinais de que a máquina pública está em colapso. A expectativa entre analistas é a de que a gestão Michel Temer (PMDB) tenha que lidar com  serviços paralisados com mais frequência. 

De acordo com técnicos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), da Fundação Nacionall do Índio (Funai) e do Ministério da Defesa, as contas não deverão fechar nos próximos meses. Caso esse contexto seja confirmado, a fiscalização de áreas desmatadas, o atendimento às comunidades indígenas e os horários de expediente de unidades das Forças Armadas passarão por mudanças. Comentários semelhantes são ouvidos na Educação, Cultura e Ciência.

Segundo a economista Esther Dweck "esse ano está ruim e ano que vem vai piorar", disse a economista, que também é ex-secretária do Orçamento Federal na gestão Dilma Rousseff (PT).

(com informações d’ O Povo Online)