sábado, 24 de junho de 2017

Conclusão da PF é de que não houve edição de gravação a Michel Temer

A Polícia Federal concluiu que não houve edição na gravação feita pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, de conversa com o presidente Michel Temer. Conforme a análise realizada pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC), foram constatadas mais de 180 interrupções, mas sem qualquer indício de irregularidade.

O equipamento usado por Joesley possui um dispositivo que pausa automaticamente a gravação em momentos de silêncio e retoma quando identifica som. O resultado da análise da PF já foi informado de forma informal ao relator do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin.

A Procuradoria Geral da República já solicitou que o laudo fosse enviado ao Ministério Público Federal. O relatório deve ser entregue nesta segunda-feira, 26, ao STF.

O laudo é divulgado um dia após o STF decidir que a delação de Joesley e Wesley Batista continua válida e o ministro Edson Fachin segue como relator dos processos da investigação da JBS.

(com informações d’ O POVO Online)