segunda-feira, 29 de maio de 2017

Hospital Dom Walfrido homenageia seu idealizador D. Walfrido Texeira Vieira

Bispo de Sobral durante 33 anos, Dom Walfrido Teixeira Vieira foi homenageado pela Santa Casa de Sobral, através do Hospital Dom Walfrido, na última sexta-feira (26/05). Na ocasião, uma placa com a trajetória do sacerdote foi descerrada pela direção da instituição.

No momento, o Diretor Geral da SCMS, Pe. Francisco Júnior Melo, reconheceu a importância de Dom Walfrido para o hospital, “Que possamos perpetuar a memória desse grande bispo”, complementou o padre. 

Também estiveram presentes durante a homenagem, o Diretor Financeiro da SCMS, Audisio Aguiar, o médico João Evangelista, o Coordenador do Hospital Dom Walfrido, Leonardo Guimarães, a Secretária da Diocese de Sobral, Zuleika Ximenes, a Coordenadora de enfermagem do hospital Dom Walfrido, Rejânia Avila, e o membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, Waldemir Militão.

Dom Walfrido Teixeira Vieira
O terceiro bispo de Sobral foi D. Walfrido Teixeira Vieira. Filho de Galdino Feliciano Vieira e Honorina Teixeira Vieira, nasceu no dia 17 de dezembro de 1921, em Jaguaquara-BA. Estudou o primeiro grau em Jaguaquara e o segundo grau no Seminário Menor São José, em Salvador. Fez o curso superior de Filosofia e Teologia no Seminário Santa Teresa, em Salvador. Sua ordenação presbiteral se realizou em Amargosa-BA, aos 29 de junho de 1946. Desde sua ordenação sacerdotal ocupou os cargos de secretário do bispado de Amargosa, reitor do Seminário Nossa Senhora do Bom Conselho de Amargosa; capelão das irmãs sacramentinas, professor do Ginásio e Escola Normal Santa Bernadete e diretor da Escola Técnica de Comércio, em Amargosa.

Sua nomeação episcopal se deu aos 15 de março de 1961, como bispo titular de Lauranda e bispo auxiliar do Cardeal Arcebispo de Salvador. Sua ordenação episcopal se realizou em Salvador, aos 26 de junho de 1961, por D. Augusto Álvaro da Silva. Exerceu o cargo de bispo auxiliar de Salvador de 1961 a 1965. Foi nomeado bispo diocesano de Sobral pelo Papa Paulo VI, aos 06 de janeiro de 1965, vindo a tomar posse dessa diocese no dia de São José do referido ano.

Durante 33 anos governou esta diocese com zelo apostólico e dedicação. Revestido de duas virtudes fundamentais para o pastoreio, humildade e mansidão, cativou a simpatia de seu clero e diocesanos. Seu longo episcopado foi marcado pelo implemento das transformações provocadas na Igreja pelo Concílio Vaticano II e pelas Conferências de Puebla e Medelin, adequando-a ao mundo moderno, pela valorização do trabalho leigo e pela opção preferencial pelos pobres.

Dentro desse espírito, fomentou ações de assistência à saúde e à educação, voltadas para os excluídos. Apoiou a Faculdade de Filosofia e, com a criação de nossa Universidade, cedeu os prédios do antigo Seminário São José e do Colégio Sobralense para neles funcionar, gratuitamente, por mais de uma década, a novel universidade. Renunciou o governo desta diocese em 17 de março de 1998.

Continuou morando em Sobral, passando três anos como Bispo Emérito, recebendo o título de Doutor Honoris Causa da UVA, e o título de cidadão sobralense da Câmara Municipal de Sobral. Depois de sua jornada na terra, toda consagrada ao Senhor e à sua Igreja, faleceu em Sobral, aos 09 de novembro de 2001. Seu lema era “Secundum Verbum Tuum”.

Fonte: stacasa.com.br