quinta-feira, 20 de abril de 2017

Governo teme resposta das ruas contra a reforma trabalhista

Nessa quarta-feira (19), a Câmara dos Deputados conseguiu aprovar, em regime de urgência a tramitação da reforma trabalhista. A pressa para aprovar o texto passava pelo temor de que as manifestações convocadas pela oposição para o próximo dia 28, fizessem com que os deputados da base desistissem de apoiar o projeto. “Eu estou avisando, se não aprovarem a urgência do projeto, a reforma pode ir para as calendas”, disse o relator do texto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), antes da abertura da sessão que acabou aprovando o requerimento.

As centrais sindicais convocaram para o próximo dia 28, uma greve geral contra as reformas da previdência, trabalhista e a aprovação da Lei da Terceirização irrestrita. Um interlocutor do governo afirmou que, se a mobilização for muito grande, poderá fazer com que deputados desistam de apoiar as reformas, por medo da pressão popular.