quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Planalto isola ex-aliados de Cunha na briga pela Câmara

Embora o presidente Michel Temer diga oficialmente que o governo se mantém neutro na disputa pelo comando da Câmara dos Deputados, seus auxiliares com melhor trânsito partidário atuam para esvaziar as candidaturas vinculadas ao Centrão e descartam apoiar os nomes do bloco informal que se apresentaram até o momento.

O Palácio do Planalto não pretende dar aval aos deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Jovair Arantes (PTB-GO) - ex-aliados do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) - mesmo se a candidatura do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), for barrada no Supremo Tribunal Federal.

O Planalto está convencido de que Maia será reeleito, apesar das pendências jurídicas que pesam sobre sua candidatura. Também avalia que os nomes apresentados até agora pelo Centrão não têm condições de fazer frente ao parlamentar do DEM.

A leitura no governo é de que o agrupamento partidário perdeu força após a cassação e prisão de Cunha - acusado de envolvimento em desvios na Petrobrás. Para o Planalto, o bloco informal nunca foi homogêneo e atuaria na Câmara mais como um grupo de pressão do baixo clero do que focado nas reformas planejadas para 2017. Rosso e Jovair também são considerados hoje nomes que não aglutinam a base aliada.

(com informações do Blog Voz de Santa Quiteria)