quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Eike Batista entra em lista da Interpol e é considerado foragido

Do céu para o inferno. De bilionário a presidiário. A vida do empresário Eike Batista entrou em parafuso. Para quem já teve R$ 80 bilhões na conta, hoje, Eike tem poucos reais e uma acusação grave: suas empresas eram lavanderias de dinheiro. Lavaram cerca de R$ 500 milhões.

Pior, no processo, Eike, que está com prisão preventiva decretada, é considerado foragido

Outrora homem mais rico do país, o empresário Eike Batista já afirmou não ter curso superior. Vaidoso, dizia a frase com certa dose de orgulho. Uma prova de que sua aptidão empresarial era algo natural.

Ela consta, inclusive, no livro “O X da questão”, biografia escrita pelo jornalista Roberto d’Ávila e lançada em 2011, auge da “bolha” empreendedora criada por Eike.

No livro, Eike conta ter estudado engenharia metalúrgica na Universidade de Aachen, na Alemanha, mas não completou o curso. Em seguida, emenda que, no entanto, fala cinco idiomas.

A desistência, agora, deve lhe trazer arrependimento. Se o fato for confirmado, Eike vai dividir a cela com presos comuns.


(com Agências)

Postar um comentário