quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Eunicio, Renan e Jucá centralizaram recebimento de R$ 22 milhões em propina

Líder de diversos governos no Parlamento, Romero Jucá (PMDB-RR) é apontado por um dos delatores da Lava Jato como figura que centralizava recebimentos de recursos para o repasse ao atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e para Eunício Oliveira (PMDB-CE), que deve substituir o colega no comando do Congresso no ano que vem.

A acusação é feita pelo ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho. Segundo informações que prestou à Lava Jato em sua tentativa de delação premiada, ele foi o responsável por intermediar repasses de cerca de R$ 22 milhões a Romero Jucá. De acordo com o delator, os recursos posteriormente eram divididos com outros caciques do PMDB, no caso, Renan e Eunício.

Melo Filho alegou que os recursos foram pagos para que Jucá, Renan e Eunício garantissem a aprovação de projetos e medidas provisórias de tal forma que os interesse da Odebrecht fossem preservados nas matérias. Outros R$ 4 milhões foram para Romero Jucá e, ainda de acordo com o delator, no montante já estaria incluída a parte que caberia a Renan Calheiros.

(com informações do Portal BuzzFeed)

Postar um comentário